sábado, 1 de outubro de 2011

Retalhos

















Se colocarmos os pensamentos na direção cronológica da vida, podemos observar que ela, a nossa vida, é um amontoados de retalhos.

Na infância compartilhei com pessoas queridas, amigos, parentes, vizinhos, que a diversão das brincadeiras do dia a dia, permitia uma felicidade extrema. Brincadeiras jamais esquecidas. Com o tempo foram surgindo novos amigos, de escola, de trabalho, de passeios, de amores, que desapareceram bruscamente, da mesma forma que chegaram.

Aos 67 anos, recolhendo os retalhos e formando com ele um mosaico das relações humanas vividas ao longo dessa estrada, observo que é gigantesco a beleza desse trabalho. Meus caminhos se cruzaram, graças a Deus, com pessoas generosas e humanitária, que me proporcionaram momentos de felicidades, que souberam conduzir e me guiar emocionalmente quando precisei, pessoas que serão eternamente valorizadas e citadas nas minhas orações. As alegrias com os filhos, família, e com essas pessoas especiais, formaram uma blindagem em meu coração que foram suficientes para superar os parcos conflitos vividos com criaturas que tentaram me prejudicar, desestabilizar.

Fui e sou feliz e sempre soube disso.


7 comentários:

Heloísa disse...

Maria Helena,
Muito interessante essa sua abordagem. Retalhos bem ajeitados, formando uma vida plena.
Beijo.

Rosamaria disse...

Amei teu post, Maria Helena! E durante a leitura relembrei da minha vida, que é um pouco parecida com a tua.
Lembrei da colcha de retalhos que fiz para os filhos e como seria maravilhoso fazer uma pra mim. Mas como lembrar de todas as pessoas maravilhosas com quem convivi? Foi um flash!
Às pessoas que tentam prejudicar e desestabilizar, o nosso desprezo.
Continua feliz pra sempre, minha amiga!
Bjim

Maria Helena disse...

Heloisa
Bem sintetizado assim como a vida, cuuuurrrta.
Bjs

Maria Helena disse...

Rosamaria
Lembrar de todas as pessoas que conviveram conosco é bem difícil, mas com certeza todas que passaram acrescentaram algo em nossas vidas.
Acrefito que a semelhança de nossas vidas faz parte de uma geração. Vivemos as mesmas tempestades e bonanças. bjs

Glória Maria - Fadinha disse...

Olá Maria Helena, de vez em quando me ponho a pensar em todos que passaram em minha vida e já estão no plano espiritual e nas pessoas que se perderam no tempo,é uma mistura de amor, saudades, muito carinho. Aqueles que não passaram bem em minha vida, quase nunca penso, tenho uma memória muito seletiva. Adoro a sua filhota. Fique bem. Beijos carinhosos.

Maria Helena disse...

Fadinha
Pois é, quantas pessoas que foram tão importantes em nossas vidas e já nos deixaram, sinta muitas saudades.
Volte sempre, gostei da sua visita.
bjs

Anônimo disse...

Que lindo!!!

bjs

Frou

:o)