quarta-feira, 23 de abril de 2008

Passagem para a luz



















Estava lá, deitada naquela cama de hospital, em um box da UTI. Pouco restava dela ou quase nada, um fiozinho de vida regulada pelos aparelhos, sumia a cada olhar.

Será que me ouvia????? Será que sentia o calor da família, do filho mais velho à bisneta mais nova, revezando???? Acho que não.

Sofreu muito, muito, mas não ficou um instante sequer sozinha, todos estávamos ao seu lado. Sem falar, sem tocar, sem ao menos nos ver, despediu-se de todos.

Sua vida rodeada de muita gente, demonstrava que o medo da solidão era constante e intenso , e desse medo um pouco ficou comigo.

Foi feliz ao longo da vida, alegre, amada pelo marido, filhos, netos, mimada pelos irmãos, em especial por duas irmãs que doaram suas próprias vidas em favor dela, dos filhos e amada pelos sobrinhos e afilhados. Apesar dos espinhos, dos caminhos tortuosos, das escolhas por vezes erradas , das dificuldades, da luta, da raiva pelas injustiças, essa... era a vida que fluia, essa... foi a vida que escolheu.

Alí, naquele leito, naquele momento, nada pude fazer, nem chorar, para não enfraquecer sua passagem, seu caminho para a luz.

Ela se foi, naquela quinta-feira de agosto, numa tarde aguourenta. Nos deixou para sempre.

Sinto a sua falta, a falta da ajuda, da presença, da voz, do zêlo, do amor imenso.

Mamãe, lembra dos dias das mães lá em Venceslau????? Voce sabia!!!! Sabia que a fileira de filhos, cantando e tocando, ia aparecer naquela porta do quarto, para presenteá-la, dessa forma não arredava o pé da cama.
Todos os anos, proporcionávamos essa alegria tão singela, mas carregada de emoção e amor.

Saudades... sua única filha

12 comentários:

Vivien Morgato : disse...

.............

Rosamaria disse...

Fiquei emocionada, Maria Helena!
Passei por isso tb e sei bem como é.
Quando a saudade bate é triste!
Bjim.

Só Magui disse...

Meus sentimentos sinceros.Ainda bem que ela foi feliz.

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Passei pra matar a saudae, me comovi com o texto.
Beijo

Maria Helena disse...

Vivinha,
eu tb não tenho palavras.
Agradeço a Deus pelo privilégio da mãe que tive.
Mamãe

Maria Helena disse...

Vivinha,
Parabéns para nós, né???????
Mamãe

Maria Helena disse...

Rosamaria,
É muito triste sim, só quem passa sabe.
Parabéns pelo dias das mães.
O meu computador estava com problemas técnicos, foi um pesadelo ficar sem ele, todo esse tempo.
Bjs

Maria Helena disse...

Magui,
Foi feliz sim.
Ela realmente soube fazer do limão, a mais gostosa limonada, para a sua vida.
Bjs

Maria Helena disse...

Lord
Obrigado.
Estive ausente por problemas técnicos, mas já estou de volta, para matar as saudades.
Bjs

Rosamaria disse...

Maria Helena, tu andas mais sumida do que eu!

Vim atrasada deixar um beijo pelo dia das mães.
Além de estar com a casa cheia, sem empregada, meu pc anda louco.

Bjim, querida.

Nadja disse...

A nossa vinda sempre é esperada, mas a ida nunca.
Talvez pq não saibamos lidar com essa partida, muita vezes ocorrida de forma sofrida daquele que vai partir.
Quando perdi a minha mãe, senti um forte dor no coração e ainda dizem que o coração não dói...
Mas hoje, anos depois de sua ida, sinto que minha mãe está bem e isso me deixa mais calma.
Fique tranqüila, pois sua mãezinha está em bom lugar, viu?

Bjks e fique com Deus!

Maria Helena disse...

Nadja,
Obrigado pelas palavras de carinho. Sei que ela está bem,foi um ser humano com bons princípios e valores éticos, generosa, isso me conforta.
Pois é, e dizem que o coração não doi.
Bjs