sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Vai espantar o moço - REPETECO -












Em um domingo, numa tarde gostosa quase início de primavera lá loooonnge em 1964, o Toninho pediu a minha mão para namorar.

Estava tudo pronto, a casa arrumada, meus pais alinhados, eu empetecada a espera do príncipe. O principe, que de nobre não tinha nada, com o peito estufado na camisa branca Volta ao Mundo, dissimulando coragem, chegou.

Meus irmãos e o Zeca, meu primo que passava uns dias em casa, estavam avisados que deveriam permanecer trancados na cozinha, até segunda ordem, sob punição.

A princípio tudo correu bem, sentados na sala de estar, meu pai, minha mãe, o Toninho e eu, conversávamos fiado sobre o tempo, televisão, assuntos banais, nada importante.

As horas foram passando, passando...e nada.

Comecei as roer as unhas, a comer os dedos, quando ...  num tom formal, começou o pedido. Coitado,  com compaixão lembro daquele momento, suava em bicas, em tempo algum ví coisa igual, borbulhas de suor brotavam de sua testa, e nada estancava.

Engasgado e suando, sua voz soou mais fraca que o trinco da porta da cozinha. Arrepiei, não deu outra, o Zeca com um penico nas mãos, verdade um penico, fez de propósito, comprou aquele objeto sabe lá onde, calmamente atravessou a sala, e subiu as escadas assoviando. Oh!!! my God!!!????? Essa abertura foi tudo que a galera queria, e num vai e vem de bacia, balde, vassouras, risos, cochichos, se instalou a mais perfeita algazarra.

Diante dessa confusão, papai, normalmante cheio de formalidade e cerimônia, resolveu encerrar o pedido, entregando a mão, o pé, tudo. Era pegar ou largar. Pegou.
Em 13 de setembro próximo passado fizemos 48 anos de namoro.

O bolo estava delicioso.

Hoje lembramos com muito bom humor dessa data, e o José Botelho, nosso Zeca, é um dos meus primos, que o Toninho mais gosta.

Estou republicando esse "post" em homenagem ao nosso Zeca, que não está mais entre nós.

25 comentários:

Sonho Meu disse...

Linda historia de amor que ta durando eternidade...parabens pra vcs. Um beijo !
me

Maria Helena disse...

Elena,
Obrigado. O tempo passa mas alguns momentos ficam impressos na nossa memória. É tão bom recordar esses momentos.
Bjs

Ricardo disse...

Mãe, eu lembro desta história como se tivesse lá... kkkk..
É engraçado isso... fazer parte de história se nem ao menos existíamos.
beijos
te amo muito

Maria Helena disse...

Ricardo,
São os "causos" da família,contados
e recontados.hahah srs. Entretanto,
é uma observação interessante.
Bjs
Mamãe

Magui disse...

Bons tempos aqueles...

Maria Helena disse...

Magui
Verdade...bons tempos.
Bjs

J.F. disse...

Maria Helena, que história linda! Não importa o tempo que passou. Quando essas histórias ficam na memória e as pessoas gostam de recordá-las, é porque o casamento deu certo e há felicidade. Parabéns para vocês e que esse namoro dure ainda por muitos e muitos anos.
A Nina e eu completaremos os 44 anos de namoro no próximo dia 14 de dezembro. E, para nós também, é uma delícia recordar aquele início, lá em 1964. Parece que foi ontem...
Abração.

Rosamaria disse...

hahahaha

Adorei tua estória, Maria Helena!

O meu não disse nada que ia pedir, aproveitou que eu saí da sala pra servir um aperitivo pra ele e meu pai e qdo voltei já tava tudo combinado. Fiquei fula da cara por ele não ter me avisado antes.
Foi em 29 de dezembro de 1963, século passado, hehehe.

Felicidades sempre pra vocês!
Bjim.

Maria Helena disse...

JF
Obrigado,
Pois é...parece que foi ontem, rsrs
Entretanto a vida, não transcorreu nesse mar de rosas não,foram vários
os momentos de dor, mas...ainda andamos de mãos dadas.
É recordação boa, e deve ser lembrada.
Abração.

Maria Helena disse...

Rosamaria,
O seu pedido foi de sopetão???hahah
Parece que foi ontem, heheh, mas nossas lembranças estão lá no século passado.
Beijão querida.

Vivien Morgato : disse...

kkkkkkkkkkkkk.....mãe, adoro essa história, o texto ficou ótimo!!

Vivien Morgato : disse...

eu já imagino a cara do Zeca com penico na mão...hahahahh

Maria Helena disse...

Vivinha.
Foi engraçada mesmo...hahahah, e o papai suando em bicas????...hehehh
....rsrsrs.
Bjs

J.F. disse...

Oi, Maria Helena.
Acho que casamento sem dificuldades é porque tem alguma coisa errada. O que vale, mesmo, é superar todas as dificuldades e continuar amando. E de mãos dadas!
Abração.

Maria Helena disse...

JF
Um pedido de namoro, nos idos tempos, passa a ser história, lembranças.
Porem o casamento é real,que permanece com todas as dificuldades.
abração

Jota Effe Esse disse...

São as histórias assim que nos levam a continuar acreditando em vida social, mesmo em meio à vida animal que às vezes levamos. Meu beijo.

Vinicius disse...

Obrigado por esta história. agradeço pela lembrança. beijos!!!

Maria Helena disse...

Vinícius
O tempo, a vida nos separou,mas as lembranças continuam fresquinhas
na nossa memória.
A Regina Célia e eu, aprendemos a andar de bicicleta com seu pai e seu tio Wilson.
Bjs

Maria Helena disse...

Jota Effe Esse
Obrigado pela visita.
A nossa memória é o cofre mais seguro e sólito que temos,o tesouro que guardamos nela jamais será danificado ou roubado.
Bjs

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Adoro quando você conta as suas histórias. Você sabe misturar humor e poesia na dose certa. Obrigado!
Beijo grande

J.F. disse...

Oi, Maria Helena.
Repito, dois anos depois, é uma linda história. E é só quem continua amando que tem o poder de contá-la. Parabéns a você e ao Toninho. A Nina e eu começamos a namorar em dezembro, três meses depois de vocês. No nosso caso, como eu já era amigo do irmão dela e já frequentava a casa, foi bem mais fácil. Simplesmente não pedi a mão e já fui namorando. Acho que eu não teria coragem de pedir e nem meu sogro coragem de ouvir. Também rimos até hoje de tudo isso.
Só lamento muito por seu primo Zeca não estar mais entre vocês
Abração.

Maria Helena disse...

Lord
Obrigado.
Gosto muito da sua visita no Caminho Suave, é sempre um orgulho.
Bjs

Maria Helena disse...

JF
Parabéns para vc e a Nina por permanecer com esse amor e carinho, demonstrado no blog.
Para dizer a verdade nem sei de quem foi a infeliz idéia desse mico, heheheh, provavelmente do meu pai.
Bjs

Magui disse...

Ótimo texto.Onde Zeca estiver sorriu pra caramba...

Maria Helena disse...

Magui
Tinha um astral maravilhoso esse
meu primo-irmão Zeca.
Bjs