quinta-feira, 18 de março de 2010

Éramos cinco...seis...sete...oito...nove...dez


















Eramos cinco... meu pai, minha mãe, meus dois irmãos e eu, confortavelmente aconchegada no colo de minha mãe com 40 dias no meu batizado. Para os moldes familiares atuais, uma família grande.

Entretanto... ao passar do tempo, nasceram mais 5, todos meninos. Uma família composta de 10 pessoas, papai, mamãe, meus sete irmãos( homens) e eu, a única mulher. Ficamos assim por um longo tempo, e nossa união reforçada dia após dia, em todos os momentos por minha mãe. Essa bandeira ela segurou até nos deixar.

Esse casal Maria da Glória e Gabriel, responsáveis por essa família que hoje entre filhos, noras, genro, netos e conjuges, bisnetos, num total de 62 membros, descansam em paz, sabedores de que cumpriram sua missão. A família não para de crescer mais 3 bisnetos estão a caminho e alguns agregados logo farão parte dessa estatística.

Aos meus pais agradeço, o amor, o carinho, os valores morais e éticos, a nobre dedicação de educar, que o fizeram com sabedoria e prazer.
Obrigado

10 comentários:

Heloísa disse...

Maria Helena,
Realmente sua história familiar é parecida com a minha. A diferença é que você ficou uma princesa, entre 7 homens. Em casa somos 4 mulheres e 5 homens.
Êta famílias grandes, não?
Beijo.

Rosamaria disse...

Família linda, Maria Helena!
A minha é pequena, somos agora três irmãos, um faleceu. Mas a do meu marido ganha da tua, são 10 irmãos, 5 homens e 5 mulheres. Bonito de ver quando se encontram. Farra geral.
Bjim.

Maria Helena disse...

Heloisa
Meu pai falava que eu era a Branca de Neve,mas os anões cresceram e a
Branca de Neve ficou anã com 1,50m,
rsrsr.
No meu post "Queridas" de 2008 vai entender que princesa não era apenas por ter sete irmãos, mas tb por ter o privilégio de ter duas tias verdadeiras fadas madrinhas.
Pretendo tb contar sobre o casamento dos meus pais que foi o um evento cheio de histórias interessantes. Gostei da idéia.
Bjs

Maria Helena disse...

Rosamaria
Parabéns ao seu marido por fazer parte de uma família tão numerosa.
Crescer em uma família grande assim, é muito bom.
A minha, qualquer situação é motivo para os encontros regado a muita alegria, muita animação. A família não para de crescer, a caminho mais tres sobrinhos-netos, que aguardamos ansiosamente.
Bjs

J.F. disse...

Maria Helena, que família linda! E as famílias dessa época, apesar das dificuldades, eram felizes e unidas. Hoje em dia, as famílias são pequenas e, cada vez mais, desunidas. Já se chegou ao tempo em que muita gente siquer deseja ter filhos. Chegamos ao tempo do egocentrismo e do egoismo. É lamentável!
Mais um comentário: que linda a foto!
Abração.

Maria Helena disse...

JF
Obrigado.
Nossa família continua muito unida, graças a Deus. As novas gerações gostam dessa união e participam.
É prazeroso demais, e raro.
Abração.

Grace Olsson disse...

Helena, veja como sao as coisas....Sua historiaé um pouco parecida coma m inha...Éramos uma familia enorme...7 mulheres e cinco homens...Mas, bastou minha mae partir para cada um se separar...
OLha, as fotos de antigamente...eram simoples..mas falavam por si...
bjs e dias felzies

graceolsson.com/blog

Maria Helena disse...

Grace
Obrigado pela visita.
Sua família é bem numerosa tb,legal
A força da minha mãe pela união da família era sagrada, desde de a infância não permitia de forma nenhuma brigas entre nós, e isso valeu para sempre.
Bjs

Ed Wood disse...

Oi, tia Maria Helena.
Meu nome é Eddie Wood e sou o cão beagle do pai JF. Aliás, acho que sou o único cão beagle do mundo com blog próprio.
Na minha ninhada, também éramos vários irmãozinhos. Mas, nos separaram. Foi cada um para um lado e não nos encontramos nunca mais. Ainda bem que vim para casa de pai JF e mãe Nina que curtem família e gostam de reunião familiar. A única coisa chata é que, nessas reuniões, fica todo mundo de olho em mim para que eu não avance nas coisas gostosas que estão sobre a mesa. Me obrigam a comer minha ração de todos os dias. Nem refrigerante posso tomar. Só água! Mas, pelo menos posso apreciar e participar da reunião alegre deles (menos na hora das comidas!) que, hoje, são minha própria família. Que bonito saber da união de sua família e saber que a força da união dela era sagrada para sua mãe. É uma pena que, hoje em dia, valores como esses estão sendo passados para segundo plano.
Se puder, dê uma passadinha no meu blog. Nesta última postagem, estou ensinando como um lindo, inteligente e modesto cão beagle pode entrentar um rotweiler brutamontes e arruaceiro.
Tudo de bom para a senhora e sua linda família.

Maria Helena disse...

Ed Wood
Adorei a sua visita, vou visitá-lo tb.
Rotweiller???????? Cuidado... aí mora o perigo. hehehehe
Bjs para o casal simpático e feliz.