quarta-feira, 4 de julho de 2007

Era uma vez... uma família feliz













Minha família é muito grande, sou a terceira, com sete irmãos barbados. Não é preciso nem dizer o quanto paparicada eu fui, pelos meus pais,

minhas tias ,tios, primos e pelos meus irmãos sou até hoje.

A grande alegria dos meus pais, era a união familiar, e assim, grandes festas aconteceram, com filhos, noras, genro ( só o Toninho, meu marido), uma baciada de netos e até bisnetos.

Reuníamos habitualmente aos domingos, e em um desses, resolvemos fazer uma festa Junina, assim...de improviso.

Mamãe foi logo fuçando seu baú, tirando as tranqueiras que poderiam servir na organização do evento. Apareceu um vestido de noiva, que serviu para a minha cunhada como uma luva., até um penico ( da onde surgiu aquilo ???) para o coroinha benzer os convidados. O buquê era um antúrio muito vermelho de plástico e a biblia, a lista telefônica.

O Toninho foi escolhido por unanimidade para ser o padre, e não decepcionou, estava demais.

Com uma cartolina cortada de colarinho, com a bíblia nas mãos ele que habitualmente já era espirituoso, estava com a corda toda e se superou. Passamos a noite rindo daquele sotaque alemão do padre, que só ele é capaz de fazer.

_Quem não tem sapatiiinhas brrrraaanncas...

Depois do casamento, a festa.

A quadrilha tinha todas as idades, "os mais de oitenta" da tia Lourdes, até os" quase um" da Cristiane. Todos marcavam, e eu tentava tocar o Feijão Queimado no acordeon.

Éramos felizes e sabíamos.


Infelizmente não temos fotos desta festa, mas a usada foi do casamento de um sobrinho.

13 comentários:

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Gostei muito da frase: éramos felizes e sabíamos. Acho que todos fomos felizes e sabíamos.
Grande beijo

Claudia Lyra disse...

Olha... concordo com o Lord, viu! Saber que foi feliz, saber que está sendo feliz, isto é uma benção!

Maria Helena disse...

Lord,
É realmente, ser feliz e valorizar esse sentimento.
Nossos pais, tias,nossas vidas apenas começando, é bom recordar.
Lord "help"não sei se o imperfeito
do indicativo "eramos"está correto
nesta frase, mas achei que se colocasse "fomos" daria a impressão errada de que não somos mais. Será... que eu invertí as bolas????
Bjs

Maria Helena disse...

Claudia,
Salve...Salve!!!
Eramos, somos e seremos, se Deus permitir.
Bjs

Vivien disse...

Eu me lembro: papai fazendo o padre alemão, tio biel como noivo, tio joão luiz como pai da noiva...era tia sandra a coroinha???
E a gente morrendo de rir, uma delícia.;0)

Maria Helena disse...

Vivinha,
Foi um arraiá como poucos, tudo de improviso. A Sandra foi o coroinha sim, de pinico e erva cidreira nas mãos, benzia todos.
Bjs
Mamãe

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Parece-me não haver diferença. As duas formas: éramos e fomos felizes, na prática, significam a mesma coisa. Conforme a frase as duas podem significar que não somos mais felizes, ou que não fomos por um período.
Beijão

Maria Helena disse...

Lord,
Obrigado.
A língua portuguesa nos passa cada rasteira, né??? mas eu sou
admiradora incondicional dela.Quem me dera saber usá-la.
Bjs

La Carmencita disse...

Oi, querida.
Adoro a Vivien.

Um grande beijinho!

Maria Helena disse...

Carmencita,
obrigado pela visita.
Eu tb adoro a minha filha.
Bjs

Klatuu o embuçado disse...

AVISO!!!!


Este texto - http://dente-de-marfim.blogspot.com/2007/07/inveja.html - é PLAGIADO do «Abrupto» de Pacheco Pereira!

A menina Kanoff - CUJO BLOG É TODO PLAGIADO - fingiu apagar o anterior blog - e transferiu tudo!

___
Hi5: http://kanoff.hi5.com/

Adriana disse...

Maria Helena obrigado pela visita e sempre um prazer receber amigos.
Adoro ler seus posts...me enchem de recordaçoes felizes...boas épocas...festas juninas...pipoca...quentao...namoradinhos...ai que delícia.
Parabéns pela família maravilhosa que tens.
beijinhos cheios de energias positivas do outro lado do oceano

Maria Helena disse...

Adriana,
obrigado pela visita.
É tão bom relembrar épocas que marcaram nossas vidas, né???
É o propósito de "casos de uma vida"
Bjs